Enviar uma pergunta? CLICK AQUI
Seg - Sexta: 7:30 - 17:00
Sáb-Dom Fechado
3262 7482 - 3262 7483
16 99781 3817
16 99742 1727
Rua Barão do Rio Branco, 347 - Centro
Itápolis/SP

G1 GLOBO (Tudo Diário)

Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.

  1. Para explicar as novas medidas anunciadas nesta semana pelo governo, Renata Lo Prete conversa com o economista Manoel Pires, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV. Pires analisa o tamanho da perda de renda para trabalhadores e fala quais medidas adicionais deveriam ser tomadas neste momento, como por exemplo o saque do FGTS. Participa também o jornalista da Globo em Brasília Valdo Cruz. Ele relata o porquê da demora em colocar propostas em prática, fala da bateção de cabeça no governo e detalha a Medida Provisória que prevê cortes de salários e jornadas. Você pode ouvir O Assunto no G1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar. Nesta quarta-feira (1), entrou em vigor a Medida Provisória 936, que estabelece o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. Essa nova MP estabelece as condições para a suspensão de contratos de trabalho ou a redução salarial e de jornada para reduzir a folha de pagamentos. O programa prevê a preservação do valor do salário-hora dos trabalhadores e estabelece que as reduções de jornada poderão ser de 25%, 50% ou de 70%. Porcentagens diferentes dessas terão que ser acordadas em negociação coletiva - quem recebe até três salários mínimos, pode negociar individualmente. Já na quinta-feira (2), uma edição extra do Diário Oficial confirmou a sanção presidencial - com vetos - à lei que estabelece um auxílio de R$ 600 mensais, por três meses, a trabalhadores informais. Com as medidas, o governo começa, agora, a reagir à crise do coronavírus com políticas públicas para a economia - o que, para muitos analistas, significa uma resposta já tardia. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com o economista Manoel Pires, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV. Pires analisa o tamanho da perda de renda para trabalhadores e fala quais medidas adicionais deveriam ser tomadas neste momento, como por exemplo o saque do FGTS. Participa também o jornalista da Globo em Brasília Valdo Cruz. Ele relata o porquê da demora em colocar propostas em prática, fala da bateção de cabeça no governo e detalha a Medida Provisória que prevê cortes de salários e jornadas. O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski e Giovanni Reginato. Nesta semana: Gabriela Sarmento e Vivian Souza. Apresentação: Renata Lo Prete. Logo podcast O Assunto - matéria Comunicação/Globo O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado. Initial plugin text
  2. Cerca de 700 frascos foram apreendidos. Embalagens tinham rótulo falsificado. Três farmácias de Abaetetuba são autuadas por vender removedor de esmalte como álcool gel Três farmácias de Abaetetuba, nordeste do Pará, foram autuadas por venderem removedor de esmalte como se fosse álcool em gel. As embalagens tinham rótulo falsificado. A Polícia Civil recebeu denúncias e flagrou o comércio irregular. Cerca de 700 frascos foram apreendidos e todo o material foi encaminhado para perícia. De acordo com a Polícia, a fiscalização foi intensificada para combater a venda irregular do produto, principalmente com o aumento da procura nas últimas semanas por causa da pandemia do coronavírus. Como denunciar Em meio à pandemia do novo coronavírus, as denúncias de produtos adulterados ou comercializados a preços injustos podem ser feitas pelo canal interativo "Alô Cidadão" (91 99991-0009) por meio de mensagens instantâneas, Disque-Procon (151) e Disque-Denúncia (181). O consumidor também pode denunciar pelo aplicativo de mensagens. O número é (91) 99230-0151. Initial plugin text
  3. Ação da Polícia Civil é de combate à pedofilia na região de Parauapebas. Outros dois suspeitos estão foragidos. Operação policial combate pedofilia em Parauapebas, no Pará Cinco pessoas foram presas, nesta quarta (2), em operação da Polícia Civil em operação de combate à pedofilia na região de Parauapebas, sudeste do Pará. Segundo a Polícia, a ação foi realizada por meio da Delegacia de Atendimento à Criança e Adolescente. Sete mandados de prisão preventiva foram expedidas pelas varas criminais do município, sendo todos por crime de estupro de vulnerável. Outros dois suspeitos ainda estão foragidos.

  4. Os policiais apreenderam 159 frascos do produto, que ainda devem ser encaminhados para a perícia. Polícia flagra farmácias em Portel vendendo álcool em gel adulterado. Reprodução / Polícia Civil Duas farmácias de Portel, no Marajó, foram flagradas nesta quarta (2) vendendo álcool em gel supostamente adulterado. Uma operação da Superintendência Regional do Marajó Ocidental, de Polícia Civil, apreendeu 159 frascos do produto, que ainda devem ser encaminhados para a perícia. A operação foi iniciada após denúncias de moradores. A Polícia Civil informou que um inquérito policial foi instaurado e pessoas ligadas ao caso já estão sendo ouvidas. Como denunciar Em meio à pandemia do novo coronavírus, as denúncias de produtos adulterados ou comercializados a preços injustos podem ser feitas pelo canal interativo "Alô Cidadão" (91 99991-0009) por meio de mensagens instantâneas, Disque-Procon (151) e Disque-Denúncia (181). O consumidor também pode denunciar pelo aplicativo de mensagens. O número é (91) 99230-0151.

  5. O repórter André Junqueira percorreu mais de 500 quilômetros de uma rodovia para mostrar alguns exemplos de como a pandemia alterou as coisas pelo país. Coronavírus muda rotina nas estradas pelo país Nessa época de isolamento, os produtos continuam chegando aos mercados graças ao trabalho de pessoas dedicadas e cada vez mais cuidadosas. O repórter André Junqueira percorreu mais de 500 quilômetros de estradas para mostrar alguns exemplos. Início de viagem e o trecho urbano da BR-262, ainda na região metropolitana de Vitória, está bem mais vazio. Os caminhões seguem em frente. O momento não é de passeio. “Realmente, a gente tem percebido uma diminuição considerável nos veículos de passeio nas rodovias federais aqui do Espírito Santo”, diz um inspetor da Polícia Rodoviária Federal. O destino do repórter é Minas Gerais. Ele registra tudo com o celular, respeitando as regras de distanciamento. Da capital capixaba até Belo Horizonte são aproximadamente 530 quilômetros de estrada simples, com muitas curvas e serras. No percurso, o caminhoneiro já encontra mais infraestrutura. Tem posto, restaurante e borracharia abertos. “Está funcionando, senão não tem jeito. Trabalha na beira da rodovia, tem que atender os motoristas que estão entregando alimento para gente”, contou um borracheiro. Um restaurante está com horário reduzido. A freguesia é que sumiu. Mesmo assim, o cuidado acompanha o serviço. “Porque vem gente de tudo quanto é lugar, gente que a gente não conhece”, afirmou um balconista. “Nós estamos lavando a mão, usando álcool. Põe a mão em dinheiro, joga álcool na mão. Assim, mantendo a distância também. Dois metros, dois metros e meio”, disse outro balconista. Distância: a varanda virou o lugar preferido para comer no restaurante. Uma família pegou a rodovia para se refugiar num sítio na região serrana do Espírito Santo. O próprio restaurante na beira da estrada já está meio isolado. Repórter: "Está vazio. É assim normalmente?" Vitor Uliana, caixa do restaurante: "Não, não é, não. Hoje, isso aqui, você ia ver umas cinco mesas vazias, no máximo, três, quatro, cinco mesas vazias, no máximo". O movimento na estrada aparece quando surge uma obra, mas o “pare e siga” nunca foi tão rápido. “Tudo tranquilo, questão de dois minutos, nem está demorando muito não”, disse o operador de pare e siga Odair José de Carvalho. Não demora também para o motorista se lembrar que o momento é mesmo de muito cuidado. Na divisa entre o Espírito Santo e Minas Gerais foi feita uma barreira bem no meio da rodovia, mas não é um bloqueio, a divisa está aberta. É um desvio para que todo motorista passe por um posto de informação. É mais uma ação para combater o coronavírus. Bombeiros, polícia, técnicos de enfermagem estão na estrada para evitar que o vírus siga de carona com alguém. “A gente faz também uma triagem. Assim que é identificado um caso suspeito, a gente encaminha para a unidade de saúde”, explicou o bombeiro Enzo. A informação vai seguindo viagem. “Essa ação é ótima. Tem que estar prevenindo mesmo, porque a epidemia está muito, então a gente tem que cuidar”, disse um caminhoneiro. O sabor especial da comida mineira também vem perdendo freguesia na estrada. Mas quem está lá sabe que é preciso ter paciência. “Quanto mais a pessoa ficar isolada, menos a doença vai espalhar, aí volta mais rápido o movimento”, diz a balconista Janete Mota. Quem segue em frente, vê luz no horizonte. “Tem que fazer, cada um, a parte dele. Que eles estão falando para fazer higienização, tudo direitinho. Agora, mais para frente, para acabar, para continuar como era tudo normal antigamente”, diz o caminhoneiro Giovani Batisteli. Repórter: "Você está otimista?" Caminhoneiro: "Sim, tem que estar".

  6. Profissionais devem se cadastrar por meio de um formulário, que será disponibilizado no site da Secretaria de Saúde no próximo sábado (4). teste coronavírus exame covid-19 lacen-pb Francisco França/Secom-PB Profissionais que atuam nas áreas da saúde e da segurança pública da Paraíba, que apresentem sintomas de Covid-19, farão testes rápidos para diagnosticar infecções pelo novo coronavírus. A medida foi anunciada em um vídeo transmitido pelas redes sociais da Secretaria de Estado da Saúde (SES), no início da noite desta quinta-feira (2). A previsão é que os exames comecem a ser feitos a partir do próximo dia 7 de abril. Curva de contágio: veja evolução de casos suspeitos e confirmados Saiba o que fazer se apresentar sintomas de contaminação na PB Como ficam os serviços na PB após medidas para conter a pandemia Conforme a SES, os profissionais que começaram a apresentar sintomas da doença desde a última terça-feira (31) serão submetidos aos testes rápidos. O prazo é considerado pela necessidade de testagem apenas entre o 7º e o 10º dia após apresentação de sintomas, já que a Covid-19 pode não se manifestar nos primeiros dias de infecção. Os profissionais que se encaixam nesses critérios devem se cadastrar por meio de um formulário, que será disponibilizado no site da Secretaria de Saúde no próximo sábado (4). Eles farão os exames em postos de coleta instalados em João Pessoa, Campina Grande, Patos e Sousa. Após realizarem o teste, os profissionais que tiverem resultado negativo poderão retornar aos postos de trabalho. Já os que testarem positivo, seguirão recomendações médicas específicas.

  7. Porto Velho, Jaru e Ji-Paraná têm casos confirmados da doença na região. Veja as últimas notícias sobre o coronavírus em Rondônia Porto Velho, Jaru e Ji-Paraná têm casos confirmados da doença na região. STF suspende dívidas de Rondônia com a União por conta do coronavírus. Rondônia confirma mais 1 caso de novo coronavírus e total vai a 9. Estado abre chamamento público para adquirir 2 mil testes rápidos da doença
  8. Secretaria Municipal de Saúde elaborou folder com informações detalhadas para manter a saúde mental durante quarentena. Unidades Básicas de Saúde e Centros de Atendimentos também disponibilizam atendimentos durante o período. A chegada do novo coronavírus trouxe sentimentos constantes de incertezas por todo o mundo. Com o confinamento sugerido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar a propagação do vírus, muitas pessoas têm tido que lidar de frente com a depressão e a ansiedade. Mesmo as pessoas que não apresentam nenhum dos quadros têm encontrado dificuldades para manter a saúde mental em dia. Por conta disso, o Conselho Federal de Psicologia liberou, pela primeira vez, que consultas e sessões com profissionais e pacientes fossem feitas de forma remota e online. Antes, isso só era possível uma vez que o psicólogo fizesse cadastro no e-Psi para apenas posteriormente começar a atender remotamente. Em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Subsecretaria de Atenção Básica e Gerência de Saúde mental elaborou um folder com informações, dicas e cuidados que se deve ter como, por exemplo, tomar cuidado com excesso de informações, praticar os cuidados com o corpo, estabelecer uma rotina, evitar pensamentos vitimistas e continuar se conectando com pessoas. “É fundamental desenvolver bons hábitos com essa pandemia, não só de higiene, mas de resgate de vínculos familiares, de proximidade de relações emocionais, mesmo na distância imposta agora, e de hábitos de empatia e de respeito ao outro”, conta a gerente de Saúde Mental e também psicóloga, Elaine Gomes. Além do auxilio remoto e de informações online, o município disponibiliza também locais físicos que estão oferecendo ajuda para quem está tendo dificuldades em lidar com o estado emocional em meio a pandemia, como Centros de Atenção Psicossocial, Ambulatório de psicologia das Unidades Básicas de Saúde, Ambulatório de Psiquiatria na Unidade Básica de Saúde da Clínica Sylvio Henrique Braune e a Enfermaria de Saúde Mental do Hospital Municipal Raul Sertã. Outro cuidado importante que quem está em casa em quarentena deve ter é filtrar o que se encontra na internet. Ao mesmo tempo que existe muito conteúdo que ajuda durante a quarentena, como “lives” de professores de educação física ensinando exercícios para fazer em casa, artistas que estão fazendo “shows particulares” ao vivo em suas rede sociais e plataformas de filmes e músicas, existem também muitas “fake news” que podem atrapalhar o consciente e a calma durante a pandemia da Covid-19. “Como uma ferramenta, não se trata da internet ser boa ou ruim em si mesma, ela deve ser bem utilizada, para que possamos extrair dela os enormes benefícios que ela nos traz. O período de isolamento social pode acentuar os sintomas de ansiedade e depressão, por isso é extremamente importante que as pessoas utilizem as fontes oficiais de informação”, conta a psicóloga e professora de Psicologia na Universidade Estácio de Sá, Brenda Sarcinelli Pacheco. Locais para auxílio psicológico em Nova Friburgo CAPS II - Centro de Atenção Psicossocial Local de atendimento: Av. Comte Bittencourt, 142 - Centro Telefone: (22) 2523-4206 CAPS Ad - Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e Drogas Local de atendimento: Rua Prof. Frezze, 84 - Vilage Telefone: (22) 2519-2641 CAPS I - Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil Local de atendimento: R Marquês de Maricá, 137 – Pq. São Clemente Telefone: (22) 2523-1370 Ambulatório de Psicologia Local de atendimento: Unidades Básicas de Saúde – Centro, Cordoeira (atendendo no Centro), Conselheiro, São Geraldo e Olaria. Ambulatório de Psiquiatria Local de atendimento: Unidade Básica de Saúde - Sylvio Henrique Braune Enfermaria de Saúde Mental do Hospital Municipal Raul Sertã Equipe: Psiquiatra, Psicólogo, Enfermeiro e Técnico de Enfermagem Horário de funcionamento: Plantão de 24h todos os dias da semana, inclusive feriados e finais de semana.
  9. Decisão é favorável apenas para o estabelecimento que fica na Avenida Colombo; município tem série de restrições no comércio por causa da pandemia do novo coronavírus. TJ autoriza abertura de loja de conveniência em Maringá Um posto de combustíveis conseguiu uma liminar da Justiça para reabrir a loja de conveniência em Maringá, no norte do Paraná, que foi fechada por restrições por causa do novo coronavírus. A decisão é da desembargadora Astrid Rutes, da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). O estabelecimento fica na Avenida Colombo, na Zona 7. A decisão vale apenas para o estabelecimento que entrou com a ação. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Maringá tem 13 casos confirmados da Covid-19 e duas morte causadas pela doença. A desembargadora acompanhou um parecer do Ministério Público do Paraná (MP-PR), que se manifestou favorável à abertura da loja por entender que esse tipo de comércio também pode ser considerado essencial. A Prefeitura de Maringá informou que não foi notificada da decisão. As restrições no comércio do município começaram a valer em 20 de março. Um novo decreto ampliou as restrições. O Sindicato dos Revendedores de Combustíveis (Sindicombustíveis) também tenta no TJ-PR a liberação de todas as lojas de conveniência de postos da cidade, mas o recurso não tinha sido julgado até esta quinta-feira (2). Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
  10. Em números oficiais, a cidade de São Paulo tem 24 mil pessoas que não têm um teto para morar. A maioria vive nas ruas e conta com a ajuda de quem trabalha por perto. Voluntários ajudam a alimentar sem teto em meio à pandemia de coronavírus No Brasil, os sem-teto são motivo de preocupação para um grupo de cidadãos que não se cansa de ajudar. Quem não tem um teto para morar vai formando fila e se aglomerando na tenda de doações que os franciscanos montaram depois que a pandemia começou. “A gente tenta, o mais rápido possível, dar esse alimento, entregar para que eles não fiquem aglomerados. Mas, a cada dia que passa, o número aumenta, e é impossível a gente evitar a aglomeração. Então, a gente faz um apelo para que, junto a nós, se acheguem também os equipamentos públicos, as entidades, para nos ajudar a organizar essa fila”, pediu o Frei Diego Melo, vice-presidente da Associação Franciscana de Solidariedade. Em média, são servidas 700 marmitas por dia. Tudo vem de donativos, como os entregues via aplicativo. Tem outras opções de doar. “Chegando aqui na frente, elas nem precisam descer do carro se não quiser. Nós, os voluntários, as irmãs, os freis, estamos aqui para dar esse apoio e esse atendimento”, explicou o frei Diego Melo. Em números oficiais, a cidade de São Paulo tem 24 mil pessoas que não têm um teto para morar. A maioria vive nas ruas do centro e conta com a ajuda de quem trabalha por perto. Mas, com tudo fechado, a situação se complicou. Muitos voluntários, que antes faziam as doações diretamente para as pessoas da ruas, pararam de aparecer. Mas eles encontraram uma alternativa: doar para as entidades que continuam com o trabalho de solidariedade. É o caso de um grupo que tem um projeto de doações nas ruas que parou por causa da pandemia. Pelas redes sociais, eles coletaram dois carros de donativos. “A gente acaba ficando com o coração partido de não poder estar saindo nas ruas para poder servir. Nós optamos por fazer a doação aqui na igreja, onde eles estão fazendo a distribuição com todos os cuidados, para não ter essa propagação do vírus”, contou a dentista Beatriz Alves Oliveira. Robson César Correia de Mendonça, do Movimento Estadual da População em Situação de Rua, viveu nas ruas por seis anos. Com outros sem-teto, criou uma associação que se mantém com doações. Ele percebeu que o serviço voluntário na rua diminuiu. Mas a tecnologia está ajudando quem já ajudava e agora precisa se proteger. Doações fundamentais, porque a procura por água e comida dobrou nos últimos dias. “A população de rua começou a se queixar. Tinham pessoas que já estavam um dia inteiro, outro, dois dias sem se alimentar. Então, a gente começou a intensificar mais esse atendimento. Solicitamos via internet uma ajuda para o pessoal para poder estar distribuindo mais o material do kit higiene e alimentação”, explicou Robson. Nas últimas semanas, a fila dobrou no Chá do Padre, um dos serviços mais tradicionais de ajuda a sem-teto de São Paulo. É na região que Valquimar Ramos faz uma das refeições no dia. “A comida é ótima. Graças a Deus a gente não tem o que reclamar, não, só agradecer a Deus por manter essa porta aberta e por dar dignidade a nós que estamos aqui também, manter a cabeça erguida como brasileiro, vendo o mundo parando nesses casos que está sofrendo todo mundo, uma doença que vem pegando”, agradeceu Valquimar Ramos, sem-teto.

  11. Vítima é um técnico de enfermagem de 48 anos. Ele morreu em Mossoró. O Rio Grande do Norte registrou na noite desta quinta (2) a terceira morte de paciente com coronavírus. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). A vítima é um técnico de enfermagem, de 48 anos. De acordo com a Sesap, o paciente deu entrada em um hospital privado com pneumonia viral. Ele ficou internado e teve a confirmação de que era Covid-19 no dia 28. Na noite desta quinta ele morreu. Até o último boletim da Sesap, divulgado na tarde desta quinta (2), o Rio Grande do Norte tinha 106 casos confirmados e 2.153 suspeitos da Covid-19. MAPA DO CORONAVÍRUS: as cidades com infectados DÚVIDAS SOBRE CORONAVÍRUS: veja perguntas e respostas GRUPO DE VULNERÁVEIS: saiba quem faz parte PRINCIPAIS SINTOMAS: febre, tosse, falta de ar CORONAVÍRUS NO RN: notícias em tempo real Outras mortes no RN A primeira morte de paciente com coronavírus no Rio Grande do Norte aconteceu no dia 29 de março. O professor Luiz Di Souza, de 61 anos, era diabético. Ele morreu após passar sete dias internado. Na noite da última terça-feira (31) foi registrada a segunda morte. O gastrólogo Matheus Aciole, de 23 anos, morreu após 4 dias de internação. Foto ilustrativa mostra adesivo com resultado positivo para o novo coronavírus Dado Ruvic/Reuters/Arquivo Initial plugin text
  12. Do alto de uma escada, o subtenente Elielson dos Santos anima moradores em isolamento com músicas num trompete. Bombeiro assume nova função durante combate à Covid-19 no Rio de Janeiro Entre tantos e tantos profissionais que prestam serviços essenciais, que não podem parar nunca, ainda tem aqueles que fazem até um trabalhinho extra – e com todo prazer. O estrondo da sirene rompe o silêncio da quarentena. No atípico trânsito livre para um dia de semana, o caminhão espalha sobressaltos. Fita interditando a rua, bombeiros apressados, o que terá havido? “Deve ser afogamento”, deduziu um morador. Nada disso. Quando os bombeiros aparecem, as pessoas olham em volta e ficam preocupadas mesmo porque, se alguém chamou, é porque precisa. Mas, desta vez, ninguém chamou: eles apareceram porque quiseram aparecer. A cidade acabou descobrindo que estava, sim, precisando deles mais do que nunca. “Está no olhar de todo mundo, as pessoas estão tensas e já não sabem o que vai acontecer. A partir das primeiras notas, os primeiros sons, acontece o alívio”, explicou o bombeiro. O equipamento de trabalho do subtenente Elielson Silva dos Santos é um trompete. “Eu costumo dizer que música é a arte de combinar os sons e tocar a alma das pessoas”, explicou Elielson Silva dos Santos, subtenente do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. Ele está em missão, talvez a mais desafiadora que já lhe foi confiada. “Elevar o astral das pessoas nesse momento tão difícil”, explicou o bombeiro. Músico e plateia se comunicam num idioma inventado na hora, feito de acenos e entusiasmo. Do alto de uma escada de 50 metros, um homem sozinho consegue a proeza de mudar o humor do prédio inteiro. “A arte nos momentos difíceis tem essa capacidade de tirar a pessoa daquele momento de abatimento psicológico”, definiu Elielson. A ideia foi do comandante, que soube de uma experiência parecida na Alemanha. “Todo menino quer ser bombeiro. Acho que isso leva para as crianças, leva para as famílias, e música move todo mundo”, definiu Roberto Robadey Júnior, comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. Mas o interesse foi tanto que a intenção despretensiosa de fazer duas ou três apresentações virou uma turnê pela cidade. “Agora estamos aqui no Vidigal. Vamos levar música para a população”, contou Elielson. Com o mar por testemunha, a bandeira da alegria gira nos barracos. Do camarote da janela: bravo! Ato final da ocorrência do dia que o subtenente Elielson encerra com sucesso. “A música vem para resgatar as pessoas de todo esse incêndio, desse medo, desse colapso mental, e colapso da alma”, explicou. Como se o Rio de Janeiro recuperasse a beleza de amar.

  13. Decisão foi expedida nesta quinta-feira (2) e atendeu a um pedido do Proncon Municipal. Coronavírus: Justiça proíbe cobranças de juros e multas a idosos em Bayeux, PB TJPB/Divulgação Instituições financeiras foram proibidas de cobrar juros, multas e correção monetária de pessoas com mais de 60 anos de idade em Bayeux, na região metropolitana de João Pessoa. A decisão liminar foi tomada nesta quinta-feira (2) pelo desembargador Luiz Sílvio Ramalho, que atendeu a uma ação protocolada pelo Procon da cidade, levando em conta que os idosos integram o grupo de risco de contaminação pelo novo coronavírus. Curva de contágio: veja evolução de casos suspeitos e confirmados Saiba o que fazer se apresentar sintomas de contaminação na PB Como ficam os serviços na PB após medidas para conter a pandemia Segundo o desembargador, a suspensão da cobrança de juros e multas foi tomada para que os idosos mantenham o isolamento social. "É verdade que as instituições financeiras disponibilizam diversos canais alternativos para a realização de pagamentos por meio da Internet e de dispositivos móveis, contudo, a realidade demonstra que o número de cidadãos com acesso e utilização da Internet entre os maiores de 60 anos ainda não é significativo a ponto de tornar a medida uma alternativa viável para o pagamento dos débitos", ressaltou. Ainda cabe recurso à decisão.

  14. Número foi registrado entre as noites de quarta e quinta-feira, superando recorde da Itália, de 969 mortes em 27 de março. País registra o maior número de casos confirmados no mundo, com mais de 244 mil. Paciente é retirado de ambulância no Broward Health Medical Center, em Fort Lauderdale, na Flórida, na quinta-feira (2) Joe Raedle/Getty Images/AFP Os Estados Unidos registraram 1.169 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo contagem de referência realizada nesta quinta-feira (2) pela Universidade Johns Hopkins, atingindo o recorde de óbitos mundiais em um único dia desde que a pandemia começou. A contagem reflete cifras reportadas pela universidade entre as 20h30 de quarta-feira (21h30 de Brasília) e o mesmo horário nesta quinta, elevando a 5.926 os mortos pelo novo coronavírus desde o início da pandemia. O recorde diário anterior pertencia anteriormente à Itália, onde 969 pessoas morreram em 27 de março. Este país europeu soma mais de 13.900 mortos, enquanto a Espanha supera os 10 mil. Quanto ao número de contágios nos Estados Unidos, a universidade informou que superou os 244 mil. Initial plugin text
  15. Prisões aconteceram nos municípios de Manicoré, Boca do Acre e Humaitá, entre quarta-feira (1º) e madrugada de quinta-feira (2). Quatro pessoas foram presas suspeitas de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo, em ações da Polícia Militar nos municípios de Manicoré, Boca do Acre e Humaitá, entre quarta-feira (1º) e a madrugada desta quinta-feira (2). Um adolescente também foi apreendido por ato infracional. No município de Humaitá, 591 km distante de Manaus, policiais da Força Tática apreenderam um adolescente de 17 anos em uma boca de fumo, após o adolescente ser denunciado pelo próprio tio por suspeita de furtar uma televisão. No local, a polícia encontrou 25 gramas de cocaína e duas pedras de oxi, além de R$ 200 em espécie e diversos materiais para embalo de trouxinhas. Uma pistola, um carregador e dez munições intactas foram apreendidos. Em Manicoré, a 330 quilômetros da capital amazonense, um homem foi preso após tentar fugir da polícia. Com ele, os militares encontram uma porção de maconha e R$ 600 em espécie. Segundo a Polícia Militar, duas armas de fogo, dez munições, R$ 900, além de trouxinhas e porções de entorpecentes foram apreendidas durante as ações feitas durante os dias.

  16. Equipe do Baep chegou ao local após denúncia; suspeito de 32 anos já tinha passagem por homicídio. Policiais militares apreenderam espingarda e revólver em imóvel usado para o tráfico no Jardim Marisa, em Campinas (SP) Baep/Divulgação Policiais do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) de Campinas (SP) prenderam um homem de 32 anos e apreenderam porções de drogas, armas e munições em um imóvel no Jardim Marisa na noite desta quinta-feira (2). A corporação chegou ao local após denúncia. Segundo o Baep, o local era utilizado para o tráfico de drogas e estava repleto de entorpecentes variados e embalagens para vendas. A perícia foi acionada ao local, e o volume apreendido ainda seria aferido. No local os policiais militares apreenderam uma espingarda calibre 12 com munições e um revólver calibre 38. De acordo com a corporação, o suspeito preso no local já tinha passagem por homicídio. O caso será registrado no plantão da Polícia Civil. Tambor com drogas variadas foi apreendido no imóvel; perícia foi acionada ao local Baep/Divulgação Veja mais notícias da região no G1 Campinas
  17. Novos casos são confirmados em Petrópolis e Maricá. Também há casos da doença em Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia, Macaé, Campos dos Goytacazes, Teresópolis, Rio das Ostras, na Baixada Litorânea, e Rio Bonito, na Região Metropolitana. A Secretaria de Saúde do Estado do Rio divulgou, na noite dessa quinta-feira (2), o boletim atualizado sobre o coronavírus no Estado. E já constam na lista nove municípios localizados nas regiões dos Lagos, Serrana, Norte, Metropolitana e Baixada Litorânea. Nessas regiões, ao todo, são 26 casos confirmados presentes na lista do Governo do Estado. Petrópolis é a que tem o maior número, com 13; seguida de Rio das Ostras e Maricá, com 3 casos cada; Rio Bonito, com 2 casos; e Arraial do Cabo, Campos dos Goytacazes, Macaé, São Pedro da Aldeia e Teresópolis, com 1 caso cada. Quanto aos óbitos por Covid-19, são quatro nessas áreas. A última morte confirmada foi de um senhor de 96 anos, em Rio das Ostras – que contabiliza apenas essa morte, até a última atualização desta reportagem. Em Petrópolis morreu um homem de 65 anos. Em Arraial do Cabo, uma idosa de 82 anos. E em Rio Bonito, uma mulher de 32 anos. Em alguns casos, os dados confirmados pelos municípios à imprensa são maiores do que os que constam na lista do Estado. Isso ocorre devido à uma atualização que é feita posteriormente. Em Petrópolis, por exemplo, o município já havia divulgado 12 casos confirmados, quando constavam apenas cinco na lista do Estado. Em todo o estado, na lista oficial do Governo, o número de infectados chega a 992, e o de mortos por Covid-19, a 41. Foi o maior crescimento de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia, equivalente a 46%. Initial plugin text
  18. O Ministério da Economia estima que as contas públicas deste ano devem acumular déficit de quase R$ 420 bilhões por causa dos gastos com a pandemia do coronavírus. Ministério da Economia estima que contas públicas vão ter déficit de quase R$ 420 bilhões O Ministério da Economia estima que as contas públicas deste ano devem acumular um déficit de quase R$ 420 bilhões por causa dos gastos com a pandemia do coronavírus. Nesta quinta-feira (2), o governo publicou a medida provisória que permite às empresas reduzirem salários e jornada de trabalho. As empresas que aderirem terão de manter o trabalhador empregado. As regras vão durar por três meses e já estão em vigor. São para todas as empresas do país. E valem para 25 milhões de empregados com carteira assinada, o que inclui os domésticos. O empregador vai poder reduzir a jornada de trabalho e também o salário do empregado. Na mesma proporção, são três faixas de redução: 25, 50 ou 70%. Se o trabalhador ganha um salário mínimo e tem a jornada e o salário reduzidos, o governo vai complementar o salário até o valor do mínimo - em qualquer faixa de redução. Quem recebe mais que o salário mínimo e tiver a jornada reduzida juntamente com o salário, o governo vai complementar com um novo benefício, que será calculado com base no seguro-desemprego. Por exemplo, no caso de um salário bruto de R$ 2 mil. Se a redução for de 50%, o trabalhador vai trabalhar a metade da jornada. Receberá R$ 1 mil da empresa e R$ 739,94 do governo. Esse segundo valor é correspondente a 50% do seguro-desemprego da faixa salarial deste trabalhador. Ou seja, o empregado receberia R$ 1.739,94 durante o período. A lei exige que patrões e empregados assinem acordos para as regras. Funcionários que recebem até três salários mínimos, podem fazer acordos individuais. De três salários até R$ 12.200, será necessário, obrigatoriamente, um acordo coletivo. Acima de R$ 12 mil, o acordo poderá ser individual. Quem ficar três meses ganhando menos, terá estabilidade e não poderá ser demitido nos três meses seguintes. A segunda grande mudança é que as empresas também poderão suspender o contrato de trabalho por dois meses. Mas essa suspensão só vai acontecer se houver acordo entre patrão e empregado. Se o empregado não topar, a suspensão do contrato não acontece. Em casos de acordo, o empregado com o contrato suspenso passa a ter direito ao seguro-desemprego. Empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano, podem suspender o contrato de todos os empregados. E o governo assume todo o seguro-desemprego. Empresas com receita bruta acima disso, podem suspender os contratos, mas terão de arcar com pelo menos 30% do salário do empregado suspenso. Neste caso, o governo pagará um valor equivalente a 70% do seguro-desemprego. No período de suspensão, a empresa deverá manter todos os benefícios dos empregados, como plano de saúde. O secretário de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, disse que as empresas poderão combinar as duas medidas para evitar demissões. A promessa é que os pagamentos sejam simples e rápidos. “O trabalhador que tiver sua jornada de trabalho reduzida ou o trabalhador que tiver o seu contrato de trabalho suspenso receberá, todos, o auxílio do governo correspondente à mesma redução ou correspondente à respectiva suspensão salarial”, explicou o secretário. José Pastore, sociólogo que estuda as relações de trabalho e emprego, afirma que é a hora é de manter o posto de trabalho. “Quando a empresa está em situação muito difícil e expõe com toda a transparência essa situação para o seu empregado, ele provavelmente vai concluir que se ele não aceitar nenhuma das duas medidas, nem redução nem suspensão, ele corre o risco de perder o emprego. O trabalhador está numa posição em que ele tem pela frente a oportunidade de salvar o emprego adotando essas duas medidas. Não é 100% seguro isso não, mas é uma chance que ele tem de adotar uma das duas medidas”, afirmou. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que é possível concluir nesta sexta-feira (3) a votação em dois turnos da proposta de emenda à Constituição que cria o "orçamento paralelo", chamado de "orçamento de guerra", voltado exclusivamente a medidas de combate ao coronavírus. O objetivo da PEC é separar do orçamento geral da União os gastos emergenciais para enfrentar a crise e, assim, não gerar impacto de aumento de despesa em momento de desaceleração da economia.

  19. Reabertura das lojas ocorreu na terça-feira (31), após decreto municipal; decisão desta quinta-feira (2) destacou riscos do novo coronavírus para determinar que voltassem a ser fechadas. Justiça determina fechamento do comércio de Marechal Cândido Rondon por risco do Covid19 A Justiça determinou que o comércio de Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná, seja fechado a partir desta sexta-feira (3) como medida de prevenção ao novo coronavírus. Conforme a decisão desta quinta-feira (2), o objetivo é manter as medidas sanitárias restritivas, previstas nos decretos anteriores ao que permitiu a reabertura do comércio na terça-feira (31). A cidade tem dois casos confirmados de Covid-19 e três em investigação, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) O Paraná tem 258 casos confirmados do novo coronavírus e quatro mortes De acordo com a Prefeitura de Marechal Cândido Rondon, o município respeitará a ordem judicial e avalia se recorrerá da decisão. Comércio tinha sido reaberto na terça-feira (2) após decreto municipal, em Marechal Cândido Rondon RPC/Reprodução Segundo a determinação, o juíz Wesley Porfírio Borel, da Vara Cível de Marechal Cândido Rondon, atendeu ao pedido de liminar pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR). Ele entendeu que o interesse econômico não poderia ser maior do que o direito da saúde. A decisão destaca ainda que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS),o isolamento social é uma forma de prevenção ao novo coronavírus e, por isso, deve ser adotada pelo município. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.

  20. Vacinação será em nove pontos da cidade, entre 12h e 17h; cerca de 6 mil doses serão distribuídas. Cerca de 6 mil doses serão distribuídas em nove pontos de vacinação, informou a fundação. Adilson Silveira/ Prefeitura de Limeira Idosos com mais de 60 anos e trabalhadores da saúde poderão se vacinar contra a gripe em nove pontos de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, na sexta-feira (3), entre meio-dia e 17h, segundo a Fundação Municipal de Saúde. Veja abaixo os locais. Cerca de 6 mil doses serão distribuídas em nove pontos de vacinação, informou a fundação. As doses que estavam disponíveis tinham acabo nesta quinta-feira (2). Segundo a fundação, foram aplicadas 3.140 doses em dois dias. O município diz ter vacinado quase 24,5 mil das 33 mil pessoas com mais de 60 anos que precisam receber a imunização. Isso equivale e 74% do público-alvo. No caso de idosos acamados, a orientação é para que façam o agendamento para receber a vacina em casa. Isso pode ser feito na unidade de saúde de referência. Em um dos pontos, a vacinação será feita nas pessoas dentro dos carros. Veja abaixo os locais: Escola Municipal Professora Adelaide Thomé Chamma, na Avenida Rocha Pombo, 1.000, Jardim Carvalho; Escola Municipal Catarina Miró, na Rua Júlia Lopes, 1.187, Vila Catarina Miró; Escola Municipal Frei Elias Zulian, na Avenida União Pan Americana, 897, Vila Ferroviária; Escola Municipal Senador Flávio Carvalho Guimarães, na Rua Henrique Hennemberg, 313, Jardim Boa Vista 2; Escola Municipal Professora Otacília Hasselmann de Oliveira, na Avenida Carlos Cavalcanti, 3.453, Uvaranas; Escola Municipal Prefeito Plauto Miró Guimarães, na Rua Almirante Barroso, 2.370, Jardim Conceição; Ônibus da vacina no espaço da feira do produtor, no Centro; Prefeitura de Ponta Grossa; SOMENTE VEÍCULOS: Rodoviária de Ponta Grossa; Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.

  21. Antes de atingir a residência o caminhão também derrubou árvores. Ninguém ficou ferido. Caminhão desgovernado atinge carros e invade casa em Itatuba, PB TV Paraíba/Reprodução Um caminhão desgovernado invadiu uma casa no Centro de Itatuba, no Agreste da Paraíba, no final da tarde desta quinta-feira (2). Segundo informações da Polícia Militar, problemas no sistema de frenagem do veículo teriam causado o acidente. Ainda segundo a PM, antes de atingir a residência o caminhão derrubou árvores e bateu em dois carros. A casa e os veículos ficaram parcialmente destruídos. Ninguém ficou ferido durante o acidente. Caminhão desgovernado bate em dois carros e invade casa em Itatuba

  22. Prefeitura pediu ao STF que suspendesse parcelas da dívida com o BNDES, que somam R$ 563,1 milhões. Ministro determinou que recursos sejam aplicados em ações contra coronavírus. Ministro Luiz Fux Fátima Meia/Futura Press/Estadão Conteúdo O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu nesta quinta-feira (2) a dívida do município do Rio de Janeiro com a União, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O ministro determinou que os recursos deverão ser aplicados em ações de combate ao novo coronavírus. A Prefeitura tinha parcelas a vencer, entre abril e setembro, no valor de R$ 563,1 milhões. As dívidas são resultados de contratos com o BNDES para viabilizar obras da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos do Rio de 2016. "Não se pode esquecer que medidas de contenção ao Covid-19 consistem em políticas públicas cujo implemento demanda recursos orçamentários, os quais precisam ser garantidos com a máxima urgência, a justificar, em caráter excepcional, a intervenção desta Corte", afirmou Fux na decisão. No último dia 25, a prefeitura tinha informado à Corte que não tem como honrar os pagamentos neste momento por conta das medidas que vem tomando para o combater a doença. "No presente caso, indubitavelmente, a abstenção judicial ensejaria ao Município do Rio de Janeiro o agravamento de uma crise financeira sem precedentes, como também, em último grau, a perda de mais vidas humanas em decorrência da COVID-19. Essa consequência indesejada pode ser atenuada por este provimento judicial", completou o ministro.

  23. Thiago Flores anunciou que um novo decreto será publicado na sexta-feira (3) para que no dia seguinte parte das atividades comerciais sejam retomadas. Comércio de Ariquemes deve ser parcialmente reaberto no sábado, segundo o prefeito Jeferson Carlos/ G1 O prefeito de Ariquemes (RO), Thiago Flores, anunciou na noite desta quinta-feira (2) em uma transmissão ao vivo no Facebook a reabertura de parte do comércio da cidade. Segundo o prefeito, um novo decreto será publicado e a volta das atividades será realizada no dia 4 de abril. Na transmissão, Thiago falou que estabelecimentos como salões de beleza, lojas de confecções e lava-jatos estão entre os comércios poderão voltar a abrir, mas que academias, parques e locais de entretenimento continuarão fechados. "A liberação não vai ser imediata, não vai ser liberado todo tipo de comércio. Nós estamos saindo de uma reclusão absoluta e nós não podemos ir para uma liberdade plena. Nós passaremos por um processo de transição. Mas a grande maioria das atividades comerciais serão retomadas com algumas condicionantes, respeitando sempre as nossas autoridades sanitárias, que é quem de fato no momento deve regular o que a gente tem e o que não tem que fazer", diz. Initial plugin text O decreto publicado pelo município em março suspendeu as atividades do comércio por 15 dias, e segundo o prefeito esse prazo não deve ser prorrogado. "Em nenhum momento ao permitir que algumas atividades comerciais sejam retomadas nós vamos dizer que a pessoa tem que ter a vida normal de antes, de ir para as ruas, de ir para as festas, de ir para a balada. O Covid-19 veio nos mostrar que nós estaremos diante de uma nova realidade. Nós não teremos mais, pelo menos por enquanto, aquela vida de antes do Covid, é fato", salienta. Thiago Flores ainda disse que nas últimas duas semanas foi criada na cidade uma central para atendimento a casos de coronavírus e equipes médicas foram destinadas ao tratamento domiciliar de casos suspeitos ou confirmados da doença, entre outras ações. "O decreto foi muito importante no momento em que ele foi publicado. E talvez, por conta dessa medida rápida, que nós não tenhamos hoje na cidade muitos casos suspeitos. O decreto e a conscientização da população de Ariquemes permitiu que nesses 15 dias nós pudéssemos entender o que está acontecendo e principalmente nos preparou para enfrentar essa doença. Ninguém está dizendo que a doença não vai chegar na cidade, mas tivemos tempo para nos fortalecer", comenta. Antes da reabertura do comércio, uma segunda etapa da higienização das ruas deve ser realizada na sexta-feira (3).
  24. Hoje, 55% dos empregos formais no país estão em negócios pequenos. Corrente do bem se forma para ajudar pequenos negócios em meio à crise No meio dessa crise, uma corrente do bem se formou para ajudar os pequenos negócios. “Eu demiti dez. Foi, assim, o pior dia da minha vida”, contou o empresário Diogo Gomes Freitas. Mas esse dia passou. O restaurante do Diogo está assim agora: portas fechadas, mas cozinha a todo vapor. O dono do restaurante encontrou ajuda de que precisava com os clientes, mas como ninguém podia ir até o estabelecimento, ele resolveu falar com todo mundo pelas redes sociais e fez um apelo. “A gente falou com os clientes que, se eles pedissem 40 entregas diárias, a gente conseguiria manter o emprego de todos os meninos com a gente”, explicou. Ele queria manter os empregos dos 14 funcionários mais antigos. Conseguiu mais do que isso. Com 60 pedidos por dia, já chamou de volta os dez novatos demitidos e todo mundo está virando entregador. O Luan Eduardo de Oliveira era garçom. “Eu vendi um relógio que eu tinha, uma bicicleta. Eu vi na internet a moto, aí eu ofereci ao rapaz para poder fazer um rolo na moto e poder rodar entregando delivery”, contou. Diogo chegou a pensar no pior, fechar de vez. Mas sabia que pior ainda estaria quem depende dele. O mesmo sentimento que fez uma empresária querer mais do que recuperar as vendas, e que reflete na cozinhada Dona Beth. Paula combinou com os clientes: cada sapato vendido vira um prato de comida para ser doado. Quem faz as quentinhas é a cozinheira que estava praticamente parada. É uma corrente que termina na ajuda aos sem-teto no centro do Rio. "Mais do que a nossa situação como microempresário, que ficou delicada nesses últimos dias, a gente entendeu que existem outros grupos passando necessidades ainda maiores", afirma Paula Passos. "Um ajudando o outro porque está difícil para todos, não tem diferença. Está difícil para todo mundo", diz a cozinheira Maria Elizabeth de Almeida da Fonseca. Hoje, 55% dos empregos formais no país estão em negócios pequenos, como o da Dona Beth, da Paula, do Diogo, de milhares de empreendedores que pedem para você valorizar o comércio local, do seu bairro. “Não é hora de desistir. É hora de tentar se readaptar, trabalhar em casa, trabalhar na rua quem puder, mas é hora de a gente se reinventar mais uma vez como sociedade”, afirma Diogo.

+ Sobre nós

Image

Onde estamos: .

Rua Barão do Rio Branco, 347
Centro Itápolis/SP
3262 7482 - 3262 7483
16 99781 3817(Rega)
16 99742 1727(Daiane)
© 2018 RG Assessoria Fisco Contábil. All Rights Reserved. Designed By JKAsites

Busca