Enviar uma pergunta? CLICK AQUI
Seg - Sexta: 7:30 - 17:00
Sáb-Dom Fechado
3262 7482 - 3262 7483
16 99781 3817
16 99742 1727
Rua Barão do Rio Branco, 347 - Centro
Itápolis/SP

G1 GLOBO (Tudo Diário)

Últimas notícias do Brasil e do mundo, sobre política, economia, emprego, educação, saúde, meio ambiente, tecnologia, ciência, cultura e carros. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.

  1. Apostas podem ser feitas até as 19h em lotéricas ou pela internet. Valor da aposta mínima é de R$ 4,50. Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até as 19h Marcelo Brandt/G1 O concurso 2.421 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 21 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h desta quinta-feira (21) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada também pela internet até 19h - saiba como fazer. Esta semana, a Mega-Sena será sorteada na terça (19), nesta quinta e no sábado (23). VÍDEO: veja como funcionam as apostas da Mega-Sena Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 4,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa. VÍDEOS: os vídeos mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

  2. Diluição da sofrência em batidas eletrônicas é a marca de disco que cresce em baladas de molde mais tradicional. Capa do álbum 'Pirata', de Jão Divulgação Resenha de álbum Título: Pirata Artista: Jão Edição: Universal Music Cotação: * * * ♪ Primeira das onze músicas que compõem o repertório inteiramente autoral de Pirata, terceiro álbum de estúdio de Jão, Clarão (Jão, Pedro Tófani e Zebu) se insinua como sofrida canção de amor, mas, antes do primeiro minuto, cai na pista com batida eletrônica, alternando climas e andamentos até o fim da faixa. Clarão dá a pista certa de Pirata, disco em que João Vitor Romania Balbino – cantor e compositor paulista que faz 27 anos em 3 de novembro – lança angústias e dores ao mar agitado em que balança o bom álbum lançado na noite de terça-feira, 19 de outubro. Pirata é álbum gravado com produção musical dividida por Jão com o galês Paul Ralphes – hábil arquiteto de discos do pop nacional, tendo no currículo produções de Kid Abelha e Biquini Cavadão, entre muitas outras bandas de gerações mais antigas – e com Guilherme Pereira. Responsável em Pirata pela confecção das faixas de moldura mais eletrônica, como Não te amo (Jão, Pedro Tófani e Zebu), Guilherme Pereira é o produtor conhecido artisticamente como Zebu e creditado como parceiro de Jão e Pedro Tófani em sete das onze músicas do disco, inclusive na única já previamente apresentada em single editado em fevereiro, Coringa (Jão, Pedro Tófani e Zebu). Por mais que a safra autoral de Pirata por vezes soe repetitiva (sobretudo do ponto de vista melódico), as onze músicas formam um todo surpreendentemente interessante, aparando excessos melodramáticos de álbuns anteriores do cantor, como o anterior Anti-herói (2019). Jão sofre por amor e se expõe em letras confessionais, apontando erros próprios e dos parceiros em cancioneiro que se distancia da alegria artificial e do sofrimento plastificado de boa parte do pop brasileiro da atualidade. A pegada dançante até pode eventualmente soar artificial, por contrariar a natureza das letras de alta carga emocional cantadas por Jão, como fica especialmente evidente em Doce (Jão, Pedro Tófani e Zebu), mas o fato é que a ágil batida pop de Idiota (Jão, Pedro Tófani e Zebu) flui muito bem, por exemplo. Entre músicas menores como Acontece (Jão e Pedro Tófani) e Santo (Jão, Pedro Tófani e Zebu), o artista se engrandece no disco quando fica sozinho como compositor e produtor. Faixa de cinco minutos que encerra o álbum Pirata, Olhos vermelhos (Jão) é canção formatada pelo próprio artista e apresentada em molde mais tradicional. Olhos vermelhos é balada que flagra Jão com vontade de sentir o gosto da liberdade, bafejada na gravação pelo sopro do saxofone que cresce ao fim da faixa. “Eu quero me perder, incendiar, nadar além do mar”, canta Jão, vislumbrando horizonte inexplorado. Outro destaque do álbum, Você me perdeu (Jão, Pedro Tófani e Zebu) também se mostra canção de formato mais comum em que Jão inventaria perdas e danos de relacionamento corroído pelo tédio. Música da lavra solitária de Jão, Meninos e meninas é crônica adolescente e bem pessoal de rapaz do interior às voltas na cidade grande com as descobertas da vida bissexual (Jão nasceu em 1994 na cidade paulista de Américo Brasiliense). Faixa incrementada com solo de guitarra, Tempos de glória (Jão) é outra canção que mostra que, por estar calcado em emoções reais, o repertório de Jão pode prescindir de tudo que é artificial. É por isso que, por mais que oscile, o álbum Pirata resulta sedutor no todo e faz Jão emergir como um verdadeiro talento do pop brasileiro do século XXI.

  3. Recebem os nascidos em fevereiro fora do Bolsa, e os beneficiários do programa com NIS encerrado em 4. A Caixa Econômica Federal (Caixa) paga nesta quinta-feira (21) a sétima e última parcela do Auxílio Emergencial para mais um grupo de beneficiários. Desta vez, recebem os trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em fevereiro. Também recebem os beneficiários do Bolsa Família com NIS encerrado em 4. Veja perguntas e respostas Veja o calendário completo Saiba como contestar se você teve o beneficio negado SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL AUXÍLIO BRASIL: Quem vai receber? Qual o valor? Veja o que se sabe sobre o programa que deve substituir o Bolsa Família Para os trabalhadores fora do Bolsa Família, os recursos serão depositados em poupança social digital da Caixa, e estarão disponíveis inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber a 7ª parcela nesta quinta serão liberados em 3º de novembro. Já quem é do Bolsa recebe os recursos da mesma forma que o benefício original. Auxílio emergencial 2021: regras da prorrogação Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/ RECEBEM A SÉTIMA PARCELA NESTA QUINTA-FEIRA: beneficiários do Bolsa Família com NIS encerrado em 4 trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em fevereiro Calendários de pagamento BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial 2021 - beneficiários do Bolsa Família Economia G1 BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA Calendário atualizado de pagamentos do Auxílio Emergencial 2021 Economia G1

  4. Decisão foi divulgada nesta quarta-feira (20), após estabilidade nos índices epidemiológicos e avanço da vacinação. Mineirão poderá receber torcedores até 50% da sua capacidade. Divulgação/Mineirão O número de torcedores presentes nos estádios de Belo Horizonte vai aumentar. Atualmente, a lotação desses espaços está regulada em 40% da capacidade, mas vai subir para 50%. A medida foi anunciada pela Prefeitura da capital nesta quarta-feira (20) e será publicada na próxima edição do Diário Oficial do Município. Conforme divulgação da Prefeitura, os portões não serão fechados a uma hora do início da partida, como tem sido feito até então. A estabilidade nos índices epidemiológicos foi considerada para a decisão do comitê de enfrentamento à pandemia. O avanço da vacinação também contribuiu. Apesar da flexibilização, os torcedores que forem ao estádio deverão apresentar o cartão de vacina que comprova a aplicação das duas doses contra a Covid-19 ou o exame negativo para a doença. A reunião contou com a presença de representantes de Atlético-MG, América-MG e Cruzeiro. O poder público fez um apelo aos clubes para que reforcem o uso de máscara e álcool em gel por parte dos torcedores. Os clubes deverão fornecer à Prefeitura nome e contato de torcedores presentes no estádio para o monitoramento pós jogo, que será feito por amostragem. Os vídeos mais vistos do g1 Minas nos últimos dias:
  5. Coronavírus no Paraná: Acompanhe as notícias do estado em relação à pandemia Veja a playlist com os vídeos exibidos nos telejornais da RPC. Confira a média móvel de mortes e casos de Covid-19 no estado do Paraná

  6. Crime ocorreu em fevereiro de 2018, quando policial saía da casa da namorada, em Santos. Outros dois homens foram indiciados pelo crime. João Ferreira de Moura Junior, de 48 anos, foi baleado enquanto saída da casa da namorada em Santos, SP Reprodução/Sinpolsan Cícero Santana Júnior, apontado como um dos responsáveis pelo assassinato do investigador João Ferreira de Moura Junior, de 48 anos, foi condenado a 21 anos de prisão, após ser julgado nesta quarta-feira (20) no Fórum de Santos, no litoral de São Paulo. O policial civil foi atingido por um tiro na cabeça, há pouco mais de três anos, e teve a morte cerebral declarada um dia depois do atentado. A sessão do Tribunal do Júri teve início às 13h desta quarta-feira, e se estendeu até por volta das 21h, quando saiu a decisão pela condenação de Santana. O policial foi abordado pelos bandidos quando saía da casa da namorada, no bairro Jabaquara, no dia 28 de fevereiro de 2018. Ele foi atingido por um tiro na cabeça, e estava deitado no banco de um carro quando foi encontrado por policiais militares. Júnior chegou a ser socorrido, mas teve morte cerebral no dia 1º de março. Na época, a Polícia Civil conseguiu identificar Santana e outros dois suspeitos por meio de provas periciais. Ele foi preso no dia 29 de março de 2019, junto de outro suspeito, em Santos. Outro homem também foi preso pouco tempo depois do crime. Desde a prisão, Santana aguarda pelo julgamento, que precisou ser adiado mais de uma vez por causa da pandemia. Os réus Flavio Jose Ramos Junior e Adilson Pinto Junior ainda aguardam o julgamento, que está marcado para 8 de novembro de 2021, às 14h, no Fórum de Santos. A defesa de Santana informou que irá recorrer da decisão. VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

  7. Caso aconteceu em maio de 2019 em São Mateus do Sul. De acordo com a polícia, o acusado confessou o crime quando foi preso. Júri foi remarcado para o dia 25 de novembro Elza Ribeiro, de 22 anos, foi morta em maio de 2019 Reprodução/RPC A Justiça adiou pela sexta vez o júri popular do homem acusado de matar a ex-esposa com golpes de barra de ferro e, depois, passar com o carro por cima do corpo dela, em São Mateus do Sul, na região sul do Paraná. O júri estava marcado para acontecer nesta quinta-feira (21), mas um dos advogados de defesa apresentou um atestado médico informando que está se recuperando de um procedimento cirúrgico. Após o pedido, um novo advogado assumiu a defesa do réu, mas como a troca aconteceu a menos de 24 horas da data que tinha sido marcada anteriormente, não foi possível cancelar o adiamento do júri. Com a decisão, o julgamento foi marcado para o dia 25 de novembro. O sorteio dos jurados vai acontecer no dia 9 de novembro. Em quatro oportunidades, o júri foi adiado por causa da situação da pandemia do novo coronavírus, que não permitia que fossem realizadas sessões presenciais. Outro adiamento aconteceu por causa da indisponibilidade de magistrados na Vara da comarca. O crime Elza Ribeiro, de 22 anos, foi morta com golpes de barra de ferro em 5 de maio de 2019. Alisson Ferraz Barbosa, de 31 anos, responde pelo crime de feminicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e mediante recurso que impossibilitou defesa da vítima. Em depoimento à polícia, quando foi preso, Alisson Ferraz Barbosa confessou ter matado a ex-companheira. Os dois foram casados por cerca de sete anos e se separaram oito meses antes do crime. Segundo a polícia, Elza tinha medidas protetivas em aberto contra o réu. Ele disse à polícia que foi até a casa de Elza com a intenção de matar a vítima. No depoimento, Alisson disse ter matado ela porque "estava com raiva". Na época da prisão, a polícia informou que o homem confessou que derrubou Elza, bateu com a barra três vezes na cabeça dela e passou com o carro duas vezes por cima da vítima. Elza foi levada com vida ao Pronto Socorro Municipal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A PM encontrou o suspeito dentro de um carro, próximo à casa dos pais dele. O homem foi levado para a Delegacia de São Mateus do Sul. Alisson está preso desde então. O que dizem os citados A defesa de Alisson Ferraz Barbosa que assumiu o caso nesta terça-feira (20), representada pelo advogado Caio Percival, afirmou que "ao contrário do que vem sendo propalado, que o réu e a defesa querem a realização do júri, momento em que se colocará a disposição do acusado todos os recursos defensivos disponíveis em direito". A defesa da família de Elza Ribeiro, representada pelo advogado Igor José Ogar, afirmou que lamenta pelo novo adiamento. "Quem mais sofre com isso são as pessoas que mais anseiam pela realização do julgamento, que são os familiares da vítima. Pois esperam que a Justiça seja feita há mais de dois anos". VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR Veja mais notícias da região em g1 Campos Gerais e Sul

  8. Celebração faz parte da série de comemorações rumo aos 20 anos do grupo. Dó Ré Mi e a cantora Mafalda Minnozzi, também madrinha do grupo, celebrando os 19 anos da formação musical Grupo Dó Ré Mi/Divulgação A cantora italiana Mafalda Minnozzi participou, nesta quarta-feira (20), de uma apresentação especial na Escola São Judas Tadeu, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, em comemoração aos 19 anos do grupo Dó Ré Mi, que desde a fundação mantém sua sede na instituição, localizada no bairro Mosela. Dó Ré Mi e cantora Mafalda Minnozzi se apresentam celebrando os 19 anos do grupo O evento também faz parte da série de comemorações que será realizada até 2022, quando o Dó Ré Mi completa 20 anos. Além das músicas e coreografias do novo espetáculo Like 2.0, a presença da cantora Mafalda Minnozzi, que é madrinha do grupo desde 2012, tornou o momento junto aos estudantes ainda mais especial. “A emoção de estar aqui hoje é imensa, é completa dedicação a eles e à música", se emociona a cantora, que já esteve com o Dó Ré Mi em festividades na escola antes. Agora, após o período de isolamento social por conta da pandemia da Covid-19, ela retornou neste início das festividades dos 20 anos. Na escola, também houve a distribuição do bolo pelo 19º aniversário do grupo, que nasceu na unidade de ensino. “Esta escola é a nossa casa; aqui nascemos, crescemos, ultrapassamos estes muros, mas ela permanece nosso porto seguro. E os alunos são nosso público-alvo. Iniciamos hoje o ano de comemorações dos 20 anos, teremos várias ações e uma grande festa em 2022”, afirma o maestro Leonardo Randolfo.    Para os alunos e integrantes do grupo, o evento foi um momento marcante e de resgate histórico de todo trabalho já desenvolvido. “É uma emoção única fazer esse show na nossa casa”, diz Júlia Mota, de 11 anos. “A gente tá bem feliz de ver que já são 19 anos, o trabalho vem durando todo esse tempo!”, conta Thuany Gall. A apresentação foi realizada com recursos do Edital Retomada Cultural por meio da Lei Aldir Blanc. A diretora da escola, Samea Azara de Carvalho, falou sobre o momento. “Estamos muito felizes, nós da equipe gestora, em participar deste momento único do Dó Ré Mi, que nasceu aqui com os nossos alunos. Valorizamos a manifestação artística no espaço escolar em todas as suas representações e procuramos impulsioná-la. Por isso é extremamente gratificante que os 20 anos do grupo tenham a participação dos alunos”, conta Samea. Like 2.0 Depois de um ano e meio sem contato com o público, ensaiar o novo show criou enorme expectativa entre os cantores e equipe. No dia 12 de outubro o Dó Ré Mi estreou o Like 2.0 com grande emoção, nas comemorações dos 90 anos do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Festa dos 90 anos do Cristo tem celebração ao som do Grupo Dó Ré Mi, de Petrópolis Em 2020, além de lives show e outras gravações musicais, lançou sete vídeoclipes: “Lavar as Mãos”, “Let It Be” em comemoração aos 50 anos do álbum dos Beatles, “Olha pro Céu”, “Juntos eu e você”, “Faz um Milagre em mim”, medley do Dia das Crianças, além do Especial de Natal; em 2021 em homenagem ao Dia das Mães, lançou o clipe “Meu Abrigo”. O grupo começou como coral tradicional, fundado pelo maestro Randolfo e a então diretora, Mônica Chung.  O trabalho do Dó Ré Mi, marcado pela atuação performática em palcos do Brasil e do mundo, pode ser acompanhado pelas redes sociais.
  9. O número de mortos deve subir porque ainda há dezenas de moradores desaparecidos e há alertas de chuva forte na região para os próximos dias. Mais de 160 morrem na ìndia e no Nepal por causa de enchentes e deslizamentos de terra Mais de 160 pessoas morreram na Índia e no Nepal em consequência de enchentes e deslizamentos de terra. O número de mortos deve subir porque ainda há dezenas de moradores desaparecidos e há alertas de chuva forte na região para os próximos dias.
  10. Ele vai disputar as decisões do individual geral e das barras paralelas. Arthur Nory, atual campeão mundial na barra fixa, não se classificou para a final do aparelho. Caio Souza se classifica para duas finais no Mundial de Ginástica O brasileiro Caio Souza se classificou para duas finais no Mundial de Ginástica Artística. Ele vai disputar as decisões do individual geral e das barras paralelas. Já Arthur Nory, atual campeão mundial na barra fixa, não se classificou para a final do aparelho. Veja aqui a participação da ginasta Rebeca Andrade na competição, que lhe garantiu três finais.
  11. O representante da América do Sul vai ser brasileiro: ou o Flamengo ou o Palmeiras, que estão na final da Libertadores. Fifa define Abu Dhabi como sede do próximo Mundial de Clubes A Fifa anunciou que o próximo Mundial de Clubes vai ser disputado em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. O representante da América do Sul vai ser brasileiro: ou o Flamengo ou o Palmeiras, que estão na final da Libertadores.
  12. São 107.407.959, o que corresponde a 50,35% da população. Em 24 horas, o Brasil registrou 401 mortes pela doença. Metade dos brasileiros completa o esquema vacinal contra a Covid Metade da população brasileira completou o esquema vacinal. Os números reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa mostram que, até agora, mais de 152 milhões receberam a primeira dose, ou 71,47% da população; 107 milhões estão completamente vacinados, o que significa mais de 50%, exatamente 50,35%; e pouco mais de 5 milhões tomaram a dose de reforço: 2,49%. Em 24 horas, mais de 400 mil pessoas foram vacinadas com a primeira dose; mais de 1,2 milhão receberam a segunda ou a dose única; e mais de 368 mil tomaram a dose de reforço. No total, mais de 2 milhões de pessoas foram vacinadas nesta quarta-feira (20). Nesta quarta, faz 500 dias que o consórcio de veículos de imprensa informa os números da pandemia. Casos e mortes por Covid Em 24 horas, o Brasil registrou 401 mortes por Covid. O total de vítimas da doença chegou a 604.303. O número de novos casos em 24 horas é de 15.729. O total passa de 21,6 milhões casos. A média de casos por dia está em 11.933, uma queda de 22% em duas semanas. A média de mortes é de 380 por dia, redução de 13%, o que significa estabilidade. O Acre não informou dados nesta quarta. Sete estados têm alta na média de mortes; dez estados e o Distrito Federal apresentam estabilidade; e oito estados estão em queda. Veja aqui outras informações sobre a pandemia e a vacinação no seu estado.

  13. Matéria premiada conta história de andarilho Líbio que viveu isolado embaixo de uma ponte na BR-174. Após sete anos no Brasil, andarilho está mais perto de voltar para Líbia A Rede Amazônica venceu a categoria de Melhor Reportagem nos Prêmios de Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na noite desta quarta-feira (20). A matéria premiada conta a história de um andarilho Líbio que viveu isolado embaixo de uma ponte na BR-174 (assista ao vídeo acima). O prêmio, anunciado em cerimônia online, foi recebido pelo repórter cinematográfico Orlando Júnior. "Na televisão a gente não faz nada só, né. Então vou citar o nome dos outros colegas: a repórter foi a Daniela Branches, o auxiliar de cinegrafia e operação de áudio foi o Paulo Frazão, o cinegrafista em Brasília foi o Silvio Souza, a produção é de Luciane Marques, a edição de Emily Suzane, Maria Isabel, Cesar Nunes e Harley Santos", destacou. O andarilho Omar Russem estava no Brasil há 7 anos, e 3 deles passou vivendo em uma ponte da BR-174, que liga Manaus a Boa Vista (RR). Ele conseguiu voltar à Líbia com a ajuda de policiais rodoviários federais. "Fico muito feliz com esse prêmio. É uma honra pra mim estar participando dessa grande dimensão de comunicação. Quero agradecer a Deus em primeiro lugar, quero agradecer também a minha companheira Manuela Barros, que é jornalista e me ajuda bastante nessa empreitada", disse. Orlando Júnior recebe prêmio de Melhor Reportagem pela Rede Amazônica, nos Prêmios de Comunicação da CNBB. Reprodução Os vídeos mais assistidos do g1 AM

  14. Caso aconteceu no trecho urbano da BR-376. Homem tinha terminado um serviço de roçada no local, e estava retirando os cones da pista após a finalização do trabalho. Trabalhador morreu após ser atropelado, em Ponta Grossa Jeovane Martins Um trabalhador que estava retirando cones da pista da BR-376, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, foi atropelado e morreu nesta quarta-feira (20), de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O atropelamento aconteceu por volta das 17h, no trecho urbano da estrada conhecido como Avenida Presidente Kennedy, próximo ao viaduto Santa Paula. Segundo a polícia, o homem de 44 anos trabalhava para uma empresa terceirizada da concessionária que administra o trecho da estrada. Ele estava tirando os cones do local após ter finalizado um serviço de roçada no canteiro central da rodovia. A motorista que atropelou o homem fez o teste do bafômetro, que não apontou ingestão de álcool. Uma equipe da Polícia Civil foi até o local para realizar uma perícia, para identificar as circunstâncias do atropelamento. VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR Veja mais notícias da região em g1 Paraná

  15. Rachel Levine atua no Corpo de Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos, que é uma carreira pública não armada com graduações semelhantes às militares. Rachel Levine, mais alta oficial trans dos EUA, toma posse como almirante 4 estrelas em Washington na terça (19) Chris Smith/U.S. Department of Health & Human Services/Handout via Reuters A médica Rachel Levine se tornou na terça-feira (19) a primeira pessoa trans a receber o grau de almirante quatro estrelas do Corpo de Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos. Ela já atua desde janeiro como secretária assistente de Saúde no governo Joe Biden (veja mais no fim da reportagem). Esse é o mais alto título possível para carreiras uniformizadas, que são tipos de serviço público armados ou não que incluem o Exército, a Marinha e a Força Aérea americanas. O órgão ao qual Levine serve se dedica a proteger a saúde pública dos EUA e tem graduações semelhantes às militares. Veja no VÍDEO abaixo o episódio sobre pessoas trans do especial 'Mais que uma letra' Mais que uma letra: ‘Empresas não estão preparadas para pessoas trans’, diz produtora "Esta é uma ocasião histórica, e eu me sinto honrada em assumir este papel pelo impacto que posso causar e pela natureza histórica que isso significa", afirmou em discurso, segundo a rede NBC. "Eu me apoio nos ombros das pessoas LGBTQ+ que vieram antes de mim, os conhecidos e os conhecidos. Que esta posse hoje seja a primeira de muitas a vir, criando um futuro diverso e mais inclusivo." Quem é Rachel Levine Rachel Levine em imagem de maio de 2020 Joe Hermitt/AP Formada por Harvard e pela Tulane Medical School, Levine é presidente da Associação de Agentes Estaduais de Saúde. Pediatra e ex-médica geral da Pensilvânia, ela tem estudos publicados sobre crise de opiáceos, maconha medicinal, medicina para adolescentes, transtornos alimentares e medicina LGBTQ. Em janeiro, Levine foi escolhida para ser secretária assistente de Saúde do governo Biden. Assim, ela se tornou a primeira pessoa transgênero a ser avaliada pelo Senado americano para um cargo na administração pública federal.
  16. Se passando por cliente, criminosos trocaram a máquina de cartão de crédito e ficaram recebendo os valores das contas durante cinco dias, até o dono do local perceber a situação. Golpe de troca de máquina de cartão de crédito gera prejuízo de R$ 27 mil a restaurante Em Belém, um golpe aplicado em um restaurante resultou num prejuízo de mais de R$ 27 mil. Os criminosos trocaram a máquina de cartão de crédito e ficaram recebendo os valores das contas durante cinco dias, até o dono do local perceber a situação. A forma como os criminosos agiram foi registrada por uma câmera de segurança do estabelecimento. Conforme mostram as imagens (veja acima), os dois suspeitos agem como se fossem clientes. É possível ver que um deles tira algo do bolso, e coloca em baixo de um blaser. Eles seguem conversando e pedem a conta ao garçom. Depois de alguns segundos o funcionário do restaurante volta e mostra o valor gasto. Um dos homens então entrega o cartão, que colocado na máquina. O golpista então passa o equipamento para o comparsa que coloca a máquina no coloca e faz a troca rapidamente. Tudo isso enquanto o outro homem distraía o garçom. O golpe ocorreu no dia 14, mas o dono do restaurante só percebeu o que tinha ocorrido 5 dias depois, quando constatou que todo o dinheiro pago na máquina estava indo para a conta dos criminosos. A polícia informou que investiga o caso e que ele segue sob sigilo.

  17. O documento atribui ainda crimes a outras 65 pessoas, entre elas três dos filhos do presidente, ministros, ex-ministros, deputados federais, funcionários do governo, médicos e empresários. Para Renan Calheiros, a omissão mais grave do governo foi o atraso deliberado na compra de vacinas. Em evento no Ceará, Bolsonaro disse que não tem culpa de nada. Relatório final da CPI da Covid pede indiciamento de Bolsonaro por nove crimes A CPI da Covid apresentou, nesta quarta-feira (20) o relatório final dos seis meses de trabalho. No texto, o senador Renan Calheiros pede o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por nove crimes. O relatório também atribui crimes a três dos filhos do presidente, ministros, ex-ministros, deputados federais, funcionários do governo, médicos e empresários. Depois de muita conversa ao longo da noite de terça-feira (19), os senadores do “G7”, grupo que forma maioria na CPI, acertaram os últimos pontos sobre os quais ainda tinham divergência no relatório. O senador Renan Calheiros, do MDB, protocolou o documento, às 10h desta quarta-feira. Nesses seis meses de trabalho, do dia 13 de abril até esta quarta-feira, a CPI fez 68 reuniões, consumiu 370 horas para ouvir investigados, testemunhas e convidados. Só de documentos sigilosos são 4 mil arquivos. O resultado é um relatório com 1.179 páginas, que pede o indiciamento de 66 pessoas e duas empresas. O relator, Renan Calheiros, do MDB, indicou no documento que foram cometidos 22 crimes diferentes, além de atos ilícitos de improbidade administrativa. Os 22 crimes considerados no relatório são: homicídio; perigo para a vida ou saúde de outrem; epidemia; infração de medida sanitária preventiva; omissão de notificação de doença; charlatanismo; incitação ao crime; falsificação de documento particular; falsidade ideológica; uso de documento falso; emprego irregular de verbas ou rendas públicas; corrupção passiva; corrupção ativa; prevaricação; advocacia administrativa; usurpação de função pública; fraude em contrato; organização criminosa; comunicação falsa de crime; fraude processual; crimes de responsabilidade - por violação do direito social e por incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo; e crimes contra a humanidade - por atos desumanos, extermínio e perseguição. Relatório atribui a Bolsonaro nove crimes Reprodução/JN O relator pediu o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por nove crimes: - crime de epidemia com resultado de morte; - infração a medidas sanitárias preventivas; - emprego irregular de verba pública; - incitação ao crime; - falsificação de documentos particulares; - charlatanismo; - prevaricação; - crime contra a humanidade; e - crime de responsabilidade. Também pediu o indiciamento de três filhos dele - o senador Flávio Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro; de quatro ministros - Marcelo Queiroga, Onyx Lorenzoni, Wagner Rosário e Braga Netto; de dois ex-ministros - Ernesto Araújo e Eduardo Pazuello; além de cinco deputados federais - o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, Osmar Terra, Carla Zambelli, Bia Kicis e Carlos Jordy. Também estão na lista pessoas apontadas como integrantes do “gabinete paralelo”, como o empresário Carlos Wizard, a médica Nise Yamaguchi e o virologista Paolo Zanotto, além de empresários apontados como financiadores de fake news sobre a pandemia, como Luciano Hang e Otávio Fakhoury. Até terça-feira (19), a minuta do relatório previa o pedido de indiciamento de 69 pessoas. Nesta quarta, Renan apresentou o relatório sem os nomes do pastor Silas Malafaia, do presidente da Funai, Marcelo Xavier, e do secretário de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Robson Santos da Silva. O nome do deputado Hélio Lopes, do PSL, que chegou a aparecer nas primeiras versões do relatório, também foi retirado por Renan Calheiros. Antes da leitura do relatório, o senador Flávio Bolsonaro foi questionado se o presidente Jair Bolsonaro tinha conhecimento do relatório e se havia feito algum comentário sobre os pedidos de indiciamento. Flávio Bolsonaro reagiu com desdém. “Olha, eu acho que ele receberia da seguinte forma: você conhece aquela gargalhada dele? (Gargalha) Porque não tem o que fazer de diferente disso. É uma piada de muito mau gosto”, disse Flávio Bolsonaro. Senadores governistas pediram a palavra na comissão para criticar as conclusões do relatório, especialmente o pedido para que o presidente Bolsonaro seja indiciado. O presidente da CPI, Omar Aziz, do PSD, rebateu. “Quem comete crime tem que ser indiciado e investigado. Para além disso, é incumbência do Senado Federal julgar eventual cometimento de crime de responsabilidade por parte do chefe do Executivo, de modo que seria um contrassenso que este mesmo Senado não pudesse investigar a conduta do presidente no âmbito das CPIs. Nenhum cidadão está acima da lei, e isso vale inclusive para o presidente Jair Messias Bolsonaro”, afirmou. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, do MDB, insistiu na defesa do presidente. “Não há elementos jurídicos que sustentem a criminalização do presidente da República. O relatório final não pode ter natureza de verdadeira sentença”, criticou. Logo depois, Renan iniciou a leitura de um resumo do relatório. Primeiro, ressaltou que o documento é uma proposta que precisa ser aprovada pelos integrantes da comissão e explicou a mudança feita na terça-feira, quando retirou do texto dois crimes atribuídos a Bolsonaro. “Nós estamos retirando o crime de homicídio. Nós sugerimos a caracterização da forma qualificada do crime de epidemia com resultado morte, Artigo 267, que pode se dar – foi a discussão que se verificou, muito boa por sinal – de forma culposa, como também de forma dolosa, e retiramos o crime de genocídio contra indígenas. Havia, evidentemente, dúvidas com relação à caracterização da conduta e à conceituação do próprio crime, e, em seu lugar, a comissão decidiu que nós indiciaríamos o senhor presidente da República por mais um crime contra a humanidade, desta vez contra indígenas”, justificou. O relator detalhou como teria ocorrido a atuação do “gabinete paralelo”, criticou a demora do governo para comprar vacinas e observou que o comportamento do presidente Bolsonaro estimulou a população a não tomar os cuidados necessários para evitar a contaminação pelo coronavírus. “A CPI colheu elementos de prova que demonstram sobejamente que o governo federal foi omisso e optou por agir de forma não técnica e desidiosa no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, expondo deliberadamente a população a risco concreto de infecção em massa. Comprovaram-se a existência de um ‘gabinete paralelo’, a intenção de imunizar a população por meio da contaminação natural, a priorização de um tratamento precoce sem amparo científico de eficácia, o desestímulo ao uso de medidas não farmacológicas. Paralelamente, houve deliberado atraso na aquisição de imunizantes, em evidente descaso com a vida das pessoas. Com esse comportamento, o governo federal, que tinha o dever legal de agir, assentiu a morte de brasileiros e de brasileiras”, disse. O relator também criticou o presidente por defender o uso de medicamentos sem eficácia no combate à Covid e incentivar a população a não respeitar medidas para conter o vírus. “O governo federal, em particular o presidente Jair Messias Bolsonaro, com o uso da máquina pública, de maneira frequente e reiterada, estimulou a população brasileira a seguir normalmente com sua rotina, sem alertar para as cautelas necessárias apesar de toda a informação disponível apontando o alto risco dessa estratégia. Outra bandeira do governo federal durante a mais grave crise sanitária que assolou o país, com a chegada da Covid-19, foi a defesa incondicional e reiterada do uso da cloroquina e da hidroxicloroquina, bem como de outros fármacos, como a ivermectina e a azitromicina, mesmo após estudos científicos, a OMS e outras autoridades sanitárias em todo o mundo demonstrarem a ineficácia desse tratamento. A opção levada a cabo sobretudo pelo chefe do Executivo Federal contribuiu para a aterradora tragédia na qual centenas de milhares de brasileiros foram sacrificados e outras dezenas de milhões foram contaminados, muitos ainda sequelados”, afirmou. Após a leitura do relatório, Renan Calheiros fez um discurso e apontou a importância do trabalho da CPI. Ao final, foi aplaudido pelos colegas. “A história não perdoa os omissos e condenará os covardes. A comissão obrigou o governo a abandonar a inação e o negacionismo para correr atrás de vacinas que lá atrás recusou, boicotou, desdenhou das suas eficácias. São vidas preservadas pela CPI, ainda que tenhamos uma das maiores letalidades do mundo pela incúria do governo federal. Esse é o nosso maior legado: vidas”, concluiu. Os senadores terão cinco dias para analisar detalhadamente o relatório. Na terça-feira que vem (26), eles voltam a se reunir na sala da CPI para votar o documento. No fim da sessão, a declaração do senador Flávio Bolsonaro de que o pai reagiria com uma gargalhada ao relatório da CPI chegou aos ouvidos do presidente da comissão, Omar Aziz, como se o presidente Bolsonaro tivesse reagido mesmo dessa forma. Aziz manifestou indignação. “O presidente deu gargalhada na falta de ar, deu gargalhada quando mandou a mãe comprar vacina. Presidente, a gente tem respeito pelo cargo de vossa excelência. Vossa excelência é a maior autoridade desse país. Vossa excelência tenha a certeza de que nós não vamos permitir que nenhum cidadão, seja a autoridade que for, ache que possa engavetar esse relatório. Esse relatório, a partir de agora, passa a ser debatido no Brasil. Nas faculdades, nas universidades. Vai servir de tese para muitos mestrados. A partir de agora, passa a ser o relatório não da CPI, mas das vítimas da Covid, dos sequelados. Presidente, o Brasil precisa de afeto e as imputações que estão sendo feitas contra a sua administração e sua pessoa são imputações muito sérias, e rir neste momento não creio que seja uma risada de alívio. Pelo contrário, a sua risada é de temor, porque a Justiça vem. Vem pelos homens e vem pela justiça divina”, enfatizou. Horas depois, quando foi alertado para o fato de que a gargalhada tinha sido do senador Flávio Bolsonaro, Omar Aziz disse que mantém a crítica ao presidente. Bolsonaro diz que não tem culpa de nada No Ceará, onde participava de um evento, o presidente Jair Bolsonaro disse que não teve culpa de nada e que a CPI só produziu ódio e rancor. “Como seria bom que se aquela CPI tivesse fazendo algo de produtivo para o nosso Brasil. Tomaram tempo de nosso ministro da Saúde, de servidores, de pessoas humildes e de empresários. Nada produziram, a não ser o ódio e rancor entre alguns de nós. Mas nós sabemos que não temos culpa de absolutamente nada. Sabemos que fizemos a coisa certa desde o primeiro momento”, afirmou Bolsonaro. Respostas A assessoria do Palácio do Planalto não se manifestou. O senador Flávio Bolsonaro afirmou que as acusações contra ele e o governo não têm base jurídica e não fazem sentido. O deputado Carlos Jordy disse que vai ingressar com uma representação contra Renan Calheiros por abuso de autoridade e que a CPI está sendo usada contra o presidente e seus aliados. Luciano Hang afirmou que a CPI pede que ele seja indiciado sem ter cometido crime algum. Paolo Zanotto declarou que “o ônus da prova é do acusador”. A deputada Carla Zambelli declarou que ingressou com uma ação no Supremo para ser ouvida na comissão. A defesa de Carlos Wizard declarou que o empresário não definiu qualquer política pública e que o relatório fundamenta o pedido de indiciamento em manifestações de opinião dadas no início da pandemia, quando o contexto era outro. Nise Yamaguchi disse que vai se manifestar depois da leitura oficial do relatório. O Ministério da Saúde declarou que não foi notificado sobre a inclusão do nome do ministro Marcelo Queiroga no relatório. O deputado Ricardo Barros afirmou que todos os depoentes ouvidos na CPI o isentaram de envolvimento na Covaxin e que a investigação negou as suspeitas. A deputada Bia Kicis e o ministro Onyx Lorenzoni não quiseram se manifestar. O Jornal Nacional não conseguiu contato com Eduardo e Carlos Bolsonaro. O Jornal Nacional procurou as outras autoridades e ex-integrantes do governo que constam no relatório da CPI, mas não teve resposta.

  18. Segundo o diretor do colegiado de medicina, essa insuficiência no quadro de docentes foi observada em 2018 e repassada para a reitoria. Estudantes de medicina reclama de falta de professores no curso da UESC Estudantes do curso de medicina da Universidade Estadual De Santa Cruz (Uesc) protestaram nesta terça (20) contra a falta de professores. O grupo afirma que o déficit no quadro de docentes pode atrasar a conclusão do curso. Eles deveriam ter iniciado estágio em hospitais da região, na terça-feira (19), mas isso não aconteceu. "Estamos concluindo algumas atividades práticas do quarto ano. Entretanto, para que isso fosse adiantado, a gente ia entrar no internato agora. Mas infelizmente, diante dos problemas, da falta de professores, principalmente no bloco de saúde da mulher, tivemos nosso internato adiado em pelo menos duas semanas", disse a estudante Erika Pereira Rios. O curso de medicina da Uesc conta com cerca de 46 professores médicos. Porém, para atender à demanda, principalmente da fase de internato, os alunos disseram que seria necessário o dobro da quantidade de docentes. "Nosso plano de projeto do curso previa que a gente tivesse 105 professores médicos atuando na formação desses estudantes. O que acontece é que nós temos uma falta de 59 professores, pois só temos 46 professores atuantes no curso", explicou Gabriel Nolasco. "Os alunos estão sendo remanejados, fazendo menos plantões, menos práticas. Alguns deles estão sem atividades, como é o caso da turma que deveria ter entrado no internato no quinto ano e que até o momento não pode começar as suas atividades, por conta dessa falta de professores de ginecologia obstetrícia", complementou. Estudantes de medicina da Uesc dizem que falta de professores pode atrasar conclusão do curso Reprodução/TV Santa Cruz Segundo Marcelo Araújo, diretor do colegiado de medicina, a insuficiência no quadro de professores da instituição foi observada em 2018 e repassada para a reitoria. "A gente vem pleiteando que façam a contratação desses professores, porque identificamos [em 2018] que esse seria um gargalo. A gente não esperava chegar até esse momento [2021] sem uma resolução", lamentou. O reitor da instituição, Alessandro Fernandes, disse que na época foi solicitado ao governo de estado a abertura de um concurso para as novas vagas para professores, mas a pandemia da Covid-19 atrapalhou o processo. "Desde 2020 estamos tentando solucionar a vacância dos cargos de docentes através de seleção pública, Reda, para professores substitutos e visitantes. Também não tem sido fácil encontrar médicos professores na nossa região", salientou. A expectativa da reitoria é de que consiga, ainda nesta semana, uma autorização para fazer uma seleção de contratação de professores para a universidade. A reportagem da TV Santa Cruz, afiliada da TV Bahia, entrou em contato com o governo da Bahia, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. Veja mais notícias do estado no g1 Bahia. Assista aos vídeos do g1 e TV Bahia 💻 Ouça 'Eu Te Explico' 🎙

  19. Seleção para futuros universitários acontece no dia 31 de outubro e já está com inscrições abertas. Universidade de Salvador oferece 50 bolsas integrais para os melhores colocados no vestibular Divulgação A Universidade Unifacs oferece 50 bolsas integrais para os 50 melhores colocados no vestibular da instituição, que acontece no dia 31 de outubro. As inscrições estão abertas e devem ser feitas através do site da universidade. Com essa ação, os futuros universitários participam do processo seletivo e ainda podem assegurar a graduação inteiramente de graça. Leonardo Baltazar, gerente comercial da UNIFACS explica que o TOP 50 existe desde 2015 e já é uma tradição da universidade baiana. "O TOP 50 é muito importante, pois candidatos que hoje não conseguem pagar por um curso superior têm a oportunidade de estudar com bolsa de 100%. Essa é uma forma de dar mais acessibilidade ao ensino superior de qualidade", explica o gestor. Veja mais notícias do estado no g1 Bahia. Assista aos vídeos do g1 e TV Bahia Ouça o Podcast 'Eu te Explico'

  20. Dois carros bateram de frente durante uma ultrapassagem e outros dois veículos que trafegavam pela estrada também se envolveram no acidente. Um homem morreu em acidente na rodovia Paulo Lauro (SP-215), em São Carlos ACidade ON São Carlos Um homem morreu e três pessoas ficaram feridas em um acidente envolvendo quatro veículos na Rodovia Paulo Lauro (SP-215), em São Carlos (SP), na noite desta quarta-feira (20). Segundo informações dos socorristas, durante uma ultrapassagem, um Chevette bateu de frente com uma Land Rover, rodou e ficou parado na pista, sendo atingido em seguida por uma Fiorino. Uma caminhonete que também trafegava na rodovia bateu em um dos veículos. Land Rover e Chevette bateram de frente em rodovia SP-215 próximo a São Carlos, o motorista do Chevette morreu ACidade ON São Carlos O condutor do Chevette não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Duas pessoas que estavam na Land Rover e o motorista da Fiorino tiveram ferimentos. O trânsito foi interditado nos dois sentidos. Agentes do Corpo de Bombeiros, Samu, da concessionária e Polícia Rodoviária fizeram o socorro. Acidente SP-215 deixou um morto e três feridos em São Carlos ACidade ON São Carlos Veja mais notícias da região no g1 São Carlos e Araraquara.

  21. Muito afetada pela pandemia em 2020, Nova York já exige o certificado de vacinação para muitas atividades em locais fechados, como restaurantes, cinemas, teatros e academias. Funcionário dos transportes em Nova York (EUA) recebe vacina contra a Covid-19 em 10 de março Shannon Stapleton/Arquivo/Reuters Depois dos professores e dos profissionais de saúde, a prefeitura de Nova York obrigará policiais, bombeiros e demais trabalhadores municipais a tomar a vacina contra a Covid-19, anunciou nesta quarta-feira (20) o prefeito Bill de Blasio. "A obrigação entrará em vigor em 1º de novembro para todas as forças de trabalho da cidade, entre elas a polícia, os bombeiros e os garis", que terão que apresentar um certificado de vacinação para seguir trabalhando, segundo um comunicado divulgado pelo município. LEIA TAMBÉM EUA detalham plano para vacinação de crianças de 5 a 11 anos Brasil chega a 50% da população completamente imunizada contra a Covid Agência dos EUA autoriza mix de vacinas e dose de reforço para quem tomou Janssen "A batalha está longe de terminar", advertiu De Blasio em uma coletiva de imprensa. "A vacinação fez diferença e temos que ir ainda mais longe" e a "vacina é o meio". Após elogiar o desempenho dos trabalhadores essenciais ao longo de toda a crise sanitária, "é hora de eles mostrarem para sua cidade o caminho para acabar com a pandemia de uma vez por todas". Em Nova York, funcionários não vacinados serão colocados em licença não remunerada Auxílio para quem se vacinar Para incentivar a vacinação, o município promete pagar US$ 500 aos que receberem a primeira dose até 29 de outubro. A partir desta data, os relutantes deixarão de receber o salário "até que apresentem o comprovante de vacinação aos superiores hierárquicos", e podem inclusive perder seus empregos, como já vem acontecendo com professores e profissionais de saúde que recusaram a vacina. A única exceção à medida é a categoria de vigilantes penitenciários, para os quais a obrigatoriedade foi adiada até 1º de dezembro devido à falta de agentes na prisão de Rikers Island, onde o agravamento das condições de detenção foi denunciado repetidamente nas últimas semanas. Ao menos 71% dos 160 mil funcionários da cidade afetados pela decisão da prefeitura já receberam pelo menos uma dose da vacina, o que significa que 46.000 pessoas ainda não foram imunizadas. Até agora, a obrigação afetava apenas algumas profissões mais expostas ao público, como professores e profissionais da saúde. As demais tinham a opção de apresentar um teste negativo a cada semana para poder trabalhar. Muito afetada pela pandemia em 2020, Nova York já exige o certificado de vacinação para muitas atividades em locais fechados, como restaurantes, cinemas, teatros e academias. Mais de 34 mil pessoas morreram de Covid-19 na cidade de mais de oito milhões de habitantes. Policiais são mais resistentes às vacinas Enfermeira enche seringa com dose da vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19 em unidade móvel de vacinação em Uniondale, Nova York, em 31 de março de 2021 Mary Altaffer/AP O principal sindicato da polícia nova-iorquina, Police Benevolent Association, já anunciou que vai recorrer da determinação municipal na Justiça. "Agora que a cidade decidiu unilateralmente pela imposição desta ordem, procederemos com uma ação judicial para proteger os direitos de nossos membros", disse o presidente do sindicato, Patrick J. Lynch, em um comunicado veiculado no Twitter. Quase 4% dos policiais em SC se recusaram a tomar vacina Nos Estados Unidos, a polícia tem se mostrado mais reticente à vacina do que no restante da população. Contudo, segundo o site Officer Down, 228 policiais morreram nos Estados Unidos por Covid-19 em 2021, o que a transforma na principal causa de morte em serviço, já que, no total, foram 356 mortes registradas em serviço até agora. Diante da resistência da população a se vacinar, cada vez mais cidades e estados estão recorrendo à obrigatoriedade das vacinas para frear o coronavírus, que já matou 728.400 pessoas nos Estados Unidos, 1.557 nas últimas 24 horas. Na segunda-feira (18), entrou em vigor no estado de Washington, na costa oeste do país, a ordem decretada pelas autoridades em agosto que obriga seus 800 mil funcionários públicos a se vacinar. A cidade de San Francisco, na Califórnia, também deu prazo até 1º de novembro para que seus 35.000 funcionários estejam vacinados. No Texas, por outro lado, o governador republicano proibiu a exigência de obrigatoriedade da vacina, inclusive nas empresas privadas. Já em Chicago, a prefeita Lori Lightfoot e o presidente do sindicato de polícia local, John Catanzara, mantêm uma queda de braço sobre as vacinas e se as autoridades públicas têm o direito de obrigar a vacinação. O principal sindicato de polícia pediu a seus associados que se neguem a informar se estão vacinados ou não, em um momento em que Chicago volta a liderar as estatísticas de assassinatos nos Estados Unidos, com 639 homicídios este ano até 13 de outubro, um índice 55% maior que o registrado há dois anos. Enquanto isso, o governo de Joe Biden prevê o início da vacinação contra a Covid-19 para as crianças com entre 5 a 11 anos a partir de novembro, uma medida que habilitará mais 28 milhões de pessoas a serem imunizadas no país. Até esta quarta-feira, 77,1% da população maior de 12 anos já tinha recebido uma ou mais doses da vacina contra a Covid-19.

  22. Audiência de custódia foi nesta quarta-feira (20). Prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva. Jovem de 21 anos atendia em um consultório em Conselheiro Paulino. A Justiça decidiu por manter presa a jovem de 21 anos suspeita de exercício ilegal da profissão. Maria Rita Daudt foi presa em flagrante, na última segunda-feira (18), em um consultório em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. De acordo com a polícia, ela se apresentava como psicopedagoga. A decisão da juíza Rachel Assad da Cunha foi proferida nesta quarta-feira (20), em audiência de custódia. Além de exercer a profissão ilegalmente, segundo a polícia, a jovem também publicava fotos dos pacientes nas redes sociais, o que fere o Estatuto da Criança e do Adolescente. Jovem suspeita por exercício ilegal da profissão foi presa no local de trabalho nesta segunda (18) em Nova Friburgo, no RJ Reprodução/Polícia Civil Na fachada do consultório, em Conselheiro Paulino, um cartaz citava a série de serviços oferecidos no local. Entre eles: avaliação diagnóstica; estimulação cognitiva; consciência fonológica; interpretação de desenho infantil, entre outros. Ainda segundo a polícia, a Maria Rita atendia crianças com deficiência. No cartaz, também havia a informação de que a jovem prestava serviços para quem tem dislexia, TDAH, síndrome de down, entre outros. A jovem ainda utilizava as redes sociais para promover o trabalho. No perfil pessoal, ela afirmava ter licenciatura em pedagogia, bacharelado em psicopedagogia e ser pós graduanda em neuropsicopedagogia, alfabetização e letramento e psicomotricidade. Cartaz lista série de serviços que eram oferecidos por mulher que se passava por psicopedagoga em Nova Friburgo, no RJ Reprodução/Polícia Civil Para a polícia, entretanto, Maria Rita afirmou estar no quarto período do curso de pedagogia. De acordo com a Polícia Civil, já existiam dois registros contra a suspeita na delegacia e ela já havia sido ouvida, mas insistiu em continuar atendendo. Os agentes chegaram ao local na segunda, após receberem informações de que a jovem estava consultando. "Em que pese o crime não envolver violência ou grave ameaça à pessoa, a conduta reveste-se de gravidade suficiente para demonstrar o flagrante risco à ordem pública com a liberdade da custodiada", afirmou a juíza Rachel Assad da Cunha. O que diz a defesa Em nota, a defesa de Maria Rita Daudt afirmou que "vai requerer ao juiz de Nova Friburgo, responsável pela condução do processo a partir de agora, o exame aprofundado das provas trazidas nos autos pela defesa". Isso porque, segundo a defesa, as provas "não foram analisadas de forma razoável e proporcional pela juíza de custódia, que se pautou em um subjetivismo e não na lei, já que Maria Rita preenche os requistos para responder o processo em liberdade, por ser primária, possui residência fixa e bons antecedentes", finalizou.

  23. Oportunidades são para diferentes níveis de escolaridade. Atendimento ocorre de forma presencial e remota. Sine Amapá oferta vagas para operador de caixa Divulgação O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferta oportunidades de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência. Na capital, os atendimentos acontecem de 8h às 12h na Casa do Trabalhador (endereço: Avenida Mendonça Júnior, entre as ruas Paraná e Marcelo Cândia, no bairro Santa Rita). As oportunidades estão disponíveis apenas para o dia divulgado. Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas: Macapá atendente de telemarketing ativo auxiliar administrativo e financeiro auxiliar de escritório auxiliar de padeiro auxiliar de açougueiro auxiliar de eletricista auxiliar de chapeiro auxiliar de cafeteria auxiliar de saneamento auxiliar de salgadeiro barista caseiro conferente de mercadoria contador chapeiro carpinteiro confeiteiro encarregador de logística garçom gerente de supermercado e de loja instrutor no ensino profissionalizante lavador de carro leiturista mestre de obras operador de eta/ete operador de microssistema operador de caixa pizzaiolo padeiro pedreiro repositor salgadeiro sushiman serviços gerais (sexo masculino) técnico de edificações técnico em química vendedor porta a porta vendedor interno(a) supervisor comercial nivelador Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:

  24. Moradores de cinco cidades já abastecidas pela barragem consideram que o fornecimento para outros cinco municípios é inviável. Moradores protestam contra ampliação de oferta de água de barragem no sudoeste do estado Moradores das cidades de Paramirim, Caturama, Botuporã, Tanque Novo e Érico Cardoso protestaram nesta quarta (20), em Paramirim, no sudoeste do estado, contra a obra de ampliação da oferta de água da barragem de Zabumbão para outros cinco municípios da região. Os moradores dos municípios já abastecidos pela barragem são contra a ampliação do fornecimento porque acreditam que o volume de água não é suficiente. O projeto prevê que as cidades de Macaúbas, Ibipitanga, Ibitiara, Oliveira dos Brejinhos e Boquira sejam beneficiadas. A barragem do Zabumbão fica localizada no município de Paramirim, e possui 60,9 milhões de m³ de volume, com capacidade de captação de 80,5 litros por segundo. Ela atende a cerca de 56 mil pessoas. Segundo a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) o controle da vasão da barragem é gerido pelo comitê da Bacia do Rio Paramirim em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA). Já o uso da água para consumo humano é gerido pela Embasa. Ainda de acordo com a companhia, a Codevasf está em fase de negociações com o governo do estado para administrar as atividades de operação, manutenção e gestão da barragem. O governo do estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento da Bahia, informou que a obra de ampliação é importante para garantir a segurança hídrica do Vale do Paramirim. O estado ainda afirma que o empreendimento vai beneficiar mais 55 mil habitantes, e que a avaliação do abastecimento é feita anualmente. Moradores protestam contra ampliação de oferta de água da barragem do Zabumbão Reprodução / TV Sudoeste Confira mais notícias do estado no g1 Bahia. Assista aos vídeos do g1 e TV Bahia Ouça o podcast 'Eu Te Explico'

  25. Suspeito chegou a fugir da Polícia Rodoviária por 15 quilômetros, mas bateu em um barranco. No carro havia 399 quilos de maconha e outros 22 quilos de skunk. Motorista foi preso após tentar fugir e bater o carro contra um barranco na SP-333 Polícia Rodoviária/Divulgação Um homem foi preso em flagrante nesta quarta-feira (20) por tráfico de drogas na Rodovia Leonor Mendes de Barros (SP-333), em Pongaí (SP). De acordo com informações da Polícia Rodoviária, um motorista que dirigia um veículo em alta velocidade fugiu por cerca de 15 quilômetros após receber sinal de parada. Durante a fuga, o carro bateu contra um barranco no acostamento da rodovia. O motorista abandonou o carro e tentou fugiu por um canavial, mas foi detido pela polícia No porta-malas foram localizados 424 tabletes de maconha pesando 399 quilos, além de 60 pacotes de skunk, que pesaram 22 quilos. VÍDEOS: assista às reportagens da região Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília.

+ Sobre nós

Image

Onde estamos: .

Rua Barão do Rio Branco, 347
Centro Itápolis/SP
3262 7482 - 3262 7483
16 99781 3817(Rega)
16 99742 1727(Daiane)
© 2018 RG Assessoria Fisco Contábil. All Rights Reserved. Designed By JKAsites

Busca